IBGE: Renda do trabalhador cai pelo sétimo mês seguido


Com a inflação galopante e o mercado de trabalho desfavorável para negociações salariais, o rendimento real dos trabalhadores teve uma queda de 3,5% em agosto deste ano frente ao mesmo mês do ano passado, a sétima seguida.

O rendimento real -que já desconta a inflação- recuou de R$ 2.264,62 em agosto do ano passado para R$ 2.185,50 em agosto deste ano, uma perda de R$ 79,12, informou o IBGE na manhã desta quinta-feira (24).

Trata-se da maior queda percentual do rendimento dos trabalhadores, para meses de agosto, desde 2002 (-13,12%).

"A queda do emprego com carteira assinada piora a negociação de aumento salarial dos empregos que permaneceram", disse Cimar Azeredo, coordenador de trabalho e rendimento do IBGE.

Essa queda da renda se refere à média das seis principais regiões metropolitanas. Separadamente, quatro delas tiveram quedas: Belo Horizonte (-7,2%), São Paulo (-5,7%), Recife (-5,5%) e Porto Alegre (-2,1%).

Em Salvador e no Rio o rendimento ficou estável, aumentando a diferença para as demais regiões metropolitanas do país. O carioca segue com o maior salário: R$ 2.568,40, seguido pelos paulistanos (R$ 2.223,90).

Segundo Azeredo, a queda do rendimento real em Belo Horizonte foi puxado pela queda de praticamente todos os setores. "Único que não teve a renda reduzida foi o doméstico, porque é indexado ao salário", disse Azeredo.

A profissão com maior perda proporcional de renda foi a construção, com queda de 6,4% menores do que em agosto do ano passado. A renda do trabalhador do setor encolheu de R$ 2.054,30 para R$ R$ 1.922,90.

A queda da renda também foi forte no comércio, de 5,9% frente a agosto do ano passado. O rendimento real passou de R$ 1.809,05 para R$ 1.702,40, segundo a pesquisa divulgada pelo IBGE nesta quinta.

Vale lembrar que a PME (Pesquisa Mensal de Emprego) acompanha as seis principais regiões metropolitanas do país, que representam 28% da força de trabalho nacional. São 44 mil domicílios visitados todo mês.

Na passagem de julho para agosto, o rendimento dos trabalhadores teve pequeno aumento de 0,5%, de R$ 2.174,49 para R$ 2.185,50. Esse crescimento na margem estaria ligado ao aumento na construção (puxado pelo Rio de Janeiro) e outros serviços.

Folha de S. Paulo.      Foto: Guga Matos


IBGE: Renda do trabalhador cai pelo sétimo mês seguido IBGE: Renda do trabalhador cai pelo sétimo mês seguido Reviewed by Adriano Monteiro on 25.9.15 Rating: 5

Nenhum comentário

Sua opinião é muito importante para nós. Conte-nos algo sobre a matéria!