Especial – Notas sobre a origem do município de Bebedouro

Parabéns pelos 86 anos de Emancipação Política

Por Paulo Junior


O município originou-se de uma fazenda de criação de gado, denominada Sítio Bebedor das Queimadas. BARBALHO cita que o sítio foi fundado por José Vieira de Melo, o fundador do Sítio Nossa Senhora do Ó do Altinho. A datação não é precisa. Sobre a evolução de uma povoação COSTA PORTO (1978) na obra Canhotinho: Notas sobre suas origens e evolução política, faz a seguinte observação:

“a POVOAÇÃO – era, de si mesma, fenômeno puramente “factual”, espontâneo, fruto exclusivo da iniciativa privada – “ a” ou “meta-jurídico”, na medida em que nada dependia da ação do Estado – surgindo de modo natural, resultado de circunstâncias ocasionais: em determinado local,  - geralmente perto  de rios, lagoas, fontes perenes (como é o caso da origem da povoação do Bebedouro) grifo nosso.” (COSTA PORTO, 1978:12).

Ainda segundo COSTA PORTO, quando se registrava certo número de casas adensadas no mesmo sítio, “tinha-se a POVOAÇÃO, cuja data de criação, por isso mesmo, é impossível de precisar, dado que se tratava de formação lenta, progressiva, seu tanto ao acaso, marcha quase insensível, sem deixar rastro.” (13)

RÊGO ao discutir a conquista e o povoamento do agreste de Pernambuco, afirma que:

“O instrumento primordial de ocupação e de desenvolvimento econômico foi, portanto, a exemplo do que ocorreu no sertão, o boi, que era necessário à alimentação dos habitantes da zona da mata e aos trabalhos dos engenhos de açúcar. A maior proximidade ante o mercado consumidor e o clima mais favorável (a pluviosidade é, no agreste, superior à do sertão) fizeram dessa região uma área de criação mais rentável.” (RÊGO, 2008: 37).

Possuindo condições geográficas favoráveis, surgiu no Vale do Rio Mentirosos a Fazenda do Bebedouro, dentro do território denominado por vários pesquisadores como sendo “a civilização do couro”, portanto, o crescimento da localidade esteve atrelado a criação de gado e a construção de um poço para matar a sede dos moradores e dos tropeiros que passavam pelas cercanias em direção a zona suleira.

Merece destaque a título de esclarecimento que é incorreta a informação encontrada no histórico do município onde se afirma que a povoação surgiu no ano de 1845, o que pode ser facilmente comprovado através de vários dados, inclusive no Livro História de Garanhuns, o qual afirma que desde 1788 já existia a fazenda do Bebedor, em 1812 já estava em funcionamento a casa de oração, futura Capela de Santo Antônio(1816). Informa o mesmo autor que nos registros paroquiais da Matriz de Santo Antônio de Garanhuns, consta a realização de cerca de 200 casamentos na Capela, demonstrando assim o crescimento da povoação do Bebedouro.

Segundo consta no histórico, a descoberta de uma imagem de Santo Antônio teria sido o fator motivador da construção da Capela. Abaixo segue a fotografia da imagem encontrada nas proximidades onde foi erigida a Capela. 


“Foi daí encontrada uma imagem
Disseram os católicos o milagre surgiu
Se fez padroeiro da nossa Agrestina
Um santo querido do nosso Brasil.” (Trecho do Hino de Agrestina)

Com a criação da Freguesia do Altinho, a Capela passou a ser subordinada a Paróquia do Altinho, no ano de 1884 foi aprovada uma Lei que elevava a Capela a categoria de Matriz, porém não houve aprovação da Igreja, e a capela só foi elevada a condição de Matriz no ano de 1912, ocorrendo no ano seguinte a posse do 1º vigário, o Padre Júlio Cabral de Medeiros.

Apesar de tentar conquistar sua autonomia política e administrativa desde o final do período Imperial, o município só foi criado através da aprovação da Lei Nº 1.931/28, assinada pelo governador Estácio de Albuquerque Coimbra. Na época da Emancipação Política o Prefeito do Altinho era o Sr. Abel Guilherme de Azevedo Lira, político radicado em Bebedouro.


Governador Estácio Coimbra em 11.09.1928 assinou a Lei que criou diversos municípios, entre eles a cidade de Bebedouro.


Abel Guilherme Prefeito do Altinho no ano de 1928.

O nome Agrestina passou a vigorar em 1944, em decorrência da publicação de um Decreto Lei, o qual não permitiria duplicata no nome de cidades no país, afetando o município de Bebedouro que recebeu a denominação de Agrestina. A cidade recebeu este nome por ser localizada na região Agreste, conforme publicado no Diário Oficial do estado de Pernambuco em 16.05.1944.

O primeiro censo populacional realizado em Bebedouro após a criação do município ocorreu em 1940, diagnosticou que quase 90% da população morava na Zona Rural, conforme pode ser verificado no gráfico abaixo:

Fonte: IBGE

Paulo Junior / Historiador Agrestinense    

Especial – Notas sobre a origem do município de Bebedouro Especial – Notas sobre a origem do município de Bebedouro Reviewed by Adriano Monteiro on 11.9.14 Rating: 5

Um comentário

  1. Caro Primo Paulo Júnior,

    Estes artigos, sem dúvida, são de grande valia para nossa população, conforme conversamos, aprendemos nestes artigos o que o que a escola não nos ensinou, e o que ainda é mais preocupante, é que continuam com a mesma didática há décadas, uma história superficial e muito fragmentada, lamentável.
    É de muito bom gosto este seu trabalho de garimpar profundamente a história de nossa Agrestina. isso resgata a verdadeira História do nosso município e de forma cronológica. Parabenizo-lhe pela dedicação e pela inciativa brilhante.

    Saudações,

    Anndro Marinho

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante para nós. Conte-nos algo sobre a matéria!